carta de amor moderna.

“…pensei num jeito de resumir tudo aquilo que sinto por você e escrevi essa carta.

Engraçado esse sentimento das coisas, a partir de agora, fazerem sentido. Da gente achar a nossa felicidade onde está tudo aparentemente complicado, das pessoas perceberem que é verdadeiro. Engraçado pensar em ter filhos, família e sonhar com coisas que ninguém mais dá tanto valor assim. Engraçado sonhar junto.

Lembro de já ter dito amar muitas pessoas antes de você, mas nenhuma dessa forma. Acho que encontrei todas as coisas que procurava sem nem precisar buscar, sem nem saber que estas eram mesmo as coisas necessárias. Ficava me perguntando, na verdade, se existiam essas tais coisas, ou se a gente simplesmente acordava um dia amando tanto alguém que relevava toda e qualquer imperfeição, mas não. Você detém mesmo o meu manual, ou se concentrou tanto em mim que se tornou ainda mais do que eu poderia esperar de alguém.

E o nosso amor foi se apresentando discretamente em cada sorriso, em cada gesto de carinho, cada risada, cada troca longa e intensa de todas aquelas coisas que os olhos dizem pela gente. E os nossos sempre disseram muito.

Nas conversas ao pé do ouvido, nas conversas distantes, nas saudades desesperadoras. No medo de nunca mais te ter comigo quando você já havia se tornado essencial.

Te admiro em cada coisa que você faz e amo sua personalidade. Lembro de detalhes sobre você que me foram ditos apenas uma vez, e isso é raro quando falamos sobre mim, minha memória é de peixe. E você, certamente, lembra de muito mais coisas que eu tenha te dito do que o contrário. Também acho curiosa essa habilidade que você tem de descobrir os meus desejos mais ocultos e esse teu jeito de saber se estou alegre ou triste. Se estou ou não preocupada. Você me decifra. E me tem inteira desde o nosso primeiro beijo.

Achei que não era possível produzir bons textos estando feliz e cometi um enorme erro. Agora consigo perceber que não escrevia porque estava triste, mas porque estava insatisfeita. Porque sou crítica demais e precisava traduzir as minhas insatisfações em relação às pessoas da mesma forma que tanto relatei a você durante os últimos seis meses.

Posso voltar novamente a acreditar que tudo vai caminhar bem, porque desejo muito que isso aconteça. Desejo te fazer tão feliz quanto você me faz e às vezes me pergunto se você sabe o tamanho disso. Creio que sim.

Me sinto completa não porque um dia eu tenha sido vazia, mas porque tenho vontade de ser melhor porque te tenho comigo, não tenho vergonha nenhuma em admitir isso.

As pessoas estão por aí aos montes perdendo tempo não sendo sinceras, perdendo tempo não se doando inteiras, perdendo tempo com medo de se machucar. Tenho medo de te perder, mas porque te amo de um jeito que nunca achei que fosse possível amar alguém. E porque sei que você tem seus medos também e que está tão frágil, entregue e apaixonado quanto eu. E o mais incrível, por mim.

O grande problema dos casais talvez seja o desequilibrio do sentir. Não é o nosso caso.
Nosso grande problema foi (agora sim, falando de tempo) que perdemos tempo tentando negar que cada arrepio quando o seu braço encostava no meu não era nada. Que o coração estava enganado mais uma vez  como de tantas outras vezes em que se enganou.

O som da sua voz e do seu sorriso. O jeito que você me olha. O seu jeito. O seu cheiro, o modo como você anda, mexe o cabelo e amarra o tênis. O seu ronco alto de nariz entupido. O modo como você me aconchega no seu abraço. A paciência que você tem em me ver dormir. A sua compreensão, seu modo de ver as coisas da vida, de ser cuidadoso ao dirigir, de ser prudente em não beber. O seu prazer em fazer absolutamente nada comigo.

Eu simplesmente amo você.

E quero que você tenha a certeza de que é pra vida inteira…”

6 responses to this post.

  1. Own! =)
    Quem sabe um dia alguém não escreve isso pra mim? Mas sem a parte do nariz entupido! heuaheuhauheuhae. Beijos!

    Responder

  2. Posted by Giu on 26/07/2010 at 12:40

    Po, Paula falou por mim também!

    Responder

  3. O grande problema está no desequilíbrio de sentir. Realmente faz todo sentido. Como sempre, vc escreve e parece que está me abrindo os olhos.

    Responder

  4. Posted by Matita on 26/07/2010 at 17:15

    Ah xuxu, sou só alegria por vc!

    Responder

  5. Posted by Marielle on 29/08/2010 at 13:42

    Incrível tua carta linda.. Parabéns!

    Responder

  6. Posted by Bruna on 24/06/2011 at 16:45

    aaa que lindo ;D

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: