devastada.

Foram 25 anos de namoro. Isso mesmo. VINTE E CINCO ANOS de NAMORO.

Era casamento sem véu e grinalda, eram filhos, cachorros, viagens, presentes, idas e vindas, toda uma vida em comum. Ninguém pensa na possibilidade do fim após 25 anos de convivência, é difícil encontrar quem insista em estar junto por tanto tempo simplesmente porque não tem nada melhor para fazer. É inconcebível.

E após esses 25 anos ele aparece com outra, do dia pra noite? Óbvio que do nada, não foi. Noivo, apartamento comprado. Vai casar exatamente um dia antes do aniversário dela com direito a festa, docinhos, valsa, fotografia e vídeo pra resgistrar cada detalhe.

O pior de tudo é o dito pelo não dito. As palavras todas engasgadas, não houve sequer um barraco épico e uns tapas na cara pra lavar a alma. Ela fica quietinha deixando os monstros atacarem pelas bordas. É fulano que comenta dali, a amiga da prima da filha do sobrinho que tem amizade com alguém próximo e acaba recebendo alguma informação e por aí vai. Tudo bem triste, bem trágico. E tão trágico que ela nem sabe direito o que fazer.

Depois de 25 longos anos de entrega a vida vem e dá uma dessas, gente, como pode? Quando a gente acha que nunca mais vai perder quem ama descobre que nem foi tão amada assim nos 45 do segundo tempo? Ela sente que viveu com intensidade uma situação paleativa: com ela ele não quis casar, dizia que não precisava desse tipo de formalidade. Negava anéis, negava contratos, negava visitas familiares, negava títulos. Eram amigos-amantes num simples espaço de tempo de uma vida toda, mais que a minha existência.

Aí começa a dar um cripocó geral. É o pulmão que ataca, a cabeça que dói, uma alergia na pele, gastrite, coluna desajeitada e coração pulverizado; não dá nem pra tentar colar.

Quando estamos próximos a alguém que vive esse tipo de situação é pior que ter morte na família, não existem palavras a ser ditas, consolo a ser feito, nada, nada, nada. O sujeito está lá impávido, vivendo o maior conto de fadas de todos os tempos na vida dele e ela sem chão, devastada. Assistindo na primeira fila a história que nunca viveu.

Como proceder quando isso acontece na vida da gente e a impressão é que não há tempo para reviver ou construir outras histórias? Quando nos sentimos fisicamente e factualmente velhas para recomeçar? Quando a decepção vai muito além da traição do namoradinho de quando tínhamos 15 anos?

Preciso da ajuda de vocês. E também preciso que a nossa protagonista queira ser ajudada, porque do jeito que está, não vai dar.

3 responses to this post.

  1. Posted by ANNA on 12/11/2010 at 12:53

    nossa ericka. foda. foda mesmo.
    nessas situações realmente nao tem o q falar, tentar aconselhar então….
    ja estive “perto” de uma situação dessas e o que a pessoa me contou é que realmente é o tempo que ameniza a dor. pq curar nao cura. mas o tempo traz outra perspectiva, mostra outro angulo das coisas e distancia um pouco a dor. enfim. um dia apos o outro.
    essa pessoa que eu conheço começou a pensar muito mais nela, nos sonhos que ela sempre teve e agora, esta começando a realiza-los… bom acho que é meio isso… esta na hora de ser bem egoista! pensar so nela mesma!!!
    bjsssss querida

    Responder

  2. Posted by @sourainha on 15/11/2010 at 05:58

    to com TANTA raiva desse cara! tive raiva dele, na verdade, por 40 segundos. mas né, isso pode acontecer com qualquer um de nós. amar, viver junto… seria melhor se fossem casados? foda foi a traição ou a ausência de um compromisso formal com a primeira? é uma merda porque agora temos mais uma quarentona com o coração devastado. nova de mais pra ser VIUVA, velha demais pra voltar a paquerar. quer dizer, com certeza isso vai (e deve!) acontecer, mas duvido que ela enxergue isso agora. não tem o que falar, é só torcer pra doer menos a cada dia.

    Responder

  3. Posso fazer um comentário raso e que melhor determina o meue stado de espírito hoje?
    HOMENS SUCKS e MULHERES SUCKS.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: