justificativa.

Já fui muito mais poética. E esse blog muito mais auto-biográfico.

Mas a poesia às vezes é chata, cansativa de ler. Pelo menos as que eu tenho lido, são. De qualquer maneira, é muito mais fácil ser realista com a vida e com o romance dos outros do que com a nossa vida. Das minhas feridas vocês já sabem, já muito escrevi por aqui.

Tenho em mim um pouco de cada traço feminino que descrevo, tenho em mim um pouco de cada caso que narro. Já vivi tantas situações complicadas, movidas pela paixão, pelos sentidos, pelo impulso, pela incoerência de todas as coisas que me dei ao luxo de viver um amor tranquilo. Parece que aprendi, finalmente, a ter um.

Certas coisas escrevo com tanta distância de mim como se nunca as tivesse experimentado. Saibam (e eu sei mesmo que vocês sabem) que provei de quase todas. Tenho tantos pecados colecionáveis que seria imprudência falar de amor sem nunca tê-lo sentido, falar de raiva, traição, desgostos, falsas expectativas e moralidade sem ter estado lá, no bico do corvo do dilema sentimental. Pra falar sobre romance, deve-se, antes de mais nada, tê-lo experimentado.

Não que de tudo que eu coloque no papel eu já tenha bebido um cálice, na verdade não é bem assim. Mas que de tudo um pouco já senti bem de perto, pelo menos o aroma, garanto que sim.

E apesar de ter ido, voltado e do mundo ter dado suas inúmeras voltas consegui aprender tanto comigo quanto com os outros, o que considero uma vitória.

Se ofendi alguém, mil desculpas. Se fui sincera demais, desculpas também. Se pareço triste, ressabiada, se algum texto for machista, feminista ou preconceituoso, mais e mais desculpas. Tudo são recortes da vida de conhecidos, e, obviamente, quando a gente resolve opinar sobre alguma coisa, sempre pisa no calo de alguém.

Eu estou ótima, minha vida vai bem, não tenho problemas com nada além da falta de dinheiro e alguns momentos de fraqueza, coisa que vocês também já sabem. Mais importante que falar sobre as decepções e ultrajes do amor é sentí-lo. E o fato do meu coração ter encontrado, finalmente, um lugar para descansar.

5 responses to this post.

  1. Posted by Matita on 10/01/2011 at 20:45

    Como é bom saber que o seu coração vai tão bem!!!! Seja feliz e mais feliz!!!

    Responder

  2. Problemas sempre existiram, mas isso é bom, assim sempre temos algo pra buscar e melhorar.

    Fico feliz que você tenha um lugar pra descansar. Eu continuo buscando embora esteja cada vez mais difícil, enquanto não encontro vou fazendo umas besteiras por aí que também faz parte da vida.

    Aproveito pra dizer que estou gostando da frequência das atualizações. =)

    =*** Erickaaa!
    See ya! o/

    Responder

  3. *ops… era “existirão” ali na primeira linha!
    Isso que dá enviar as coisas antes de reler! Hahaha…

    Responder

  4. Posted by Marcelo on 11/01/2011 at 09:59

    Ericka… acho desnecessárias suas desculpas. Afinal, esse espaço é antes de tudo seu. Além disso, é também seu o direito da livre expressão. Não há como escrever qualquer texto e não ofender ninguém. Ou ninguém achar que você foi preconceituosa, feminista ou machista. Não depende de você, no fim das contas.
    Esse foi um comentário de incentivo. Continue a escrever como estiver afim! Tá ótimo desse jeito!🙂

    PS: é bom que se registre que adoro polêmica. Também gosto de chocar os outros…:/

    Responder

  5. Éricketa, desculpas? Desculpas??? DESCULPAS?
    Desculpas por escrever textos sinceros, bonitos e coesos????
    Não te desculpo. Não mesmo!
    =)

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: