machismo.

Algum dia, em algum lugar do mundo, uma mulher resolveu que queria estudar. Depois, votar. Daí todas as demais passaram a querer também. Você já viu uma mulher olhar outra fazer alguma coisa diferente e não querer fazer igual? Eu não.

Houve um momento em que mulher nenhuma podia usar calça jeans ou cortar o cabelo Joãozinho. Absurdo. A gente foi lá, queimou meia dúzia de sutiãs e se libertou dessa, graças a Deus. Daí foi só pensar: se a gente podia ler, escrever, votar, usar calça jeans e cabelo curto, porque não trabalhar? Esse lance de ficar só cuidando de filho e lavando roupa tava dando nos nervos, ter um pouco de vida fora da família faria bem. E lá fomos nós para as fábricas, quebrar o preconceito de que éramos inferiores e destinadas ao lar, a ser professoras, costureiras ou coisa do tipo. Queríamos ser empresárias de sucesso, queríamos poder ter a opção de não ter filhos, de não ser sustentadas por homem nenhum. Tanto quisemos que conseguimos, olha só que bela bosta. Hoje a gente tem que caçar no laço um homem que seja gentil. Um homem cavalheiro. Um homem que não se sinta diminuído por estar ao nosso lado.

Conquistamos tantas coisas que eles já não acham necessário exercer o mínimo machismo sobre nós,  vai que ofende?

No final das  contas essa coisa de feminismo foi melhor pra eles que pra gente. Além de super mães, esposas e donas de casa a gente passou a trazer dinheiro pra casa, tem coisa melhor? Ah, sim! E isso tudo sem descer do salto, sem poder engordar, pensando sempre nas unhas, cabelo e depilação. Mulher esculachada, não dá.

Mulher que tem dinheiro não gasta o do seu homem, mulher que trabalha tem menos tempo de enxer o saco. Simples não, é?

Sei que pode soar bastante machista, mas gostaria que os homens achassem toda essa nossa superioridade absurda. Que fizessem um convite para jantar cordialmente e pagassem a conta. Seria bom também que eles agissem como galãs de novela. Abrissem a porta do carro,  planejassem um passeio diferente, oferecessem presentes sem motivo ou data especial. Que nos dessem flores, chocolates, jóias e vestidos. Quem foi que disse que agora que a mulher trabalha não precisa de mais nada? Que fossem cordiais, pelo menos pra nos conquistar, e não intreresseiros ao ponto de fingir que esqueceram a carteira em casa pra gente ainda pagar o deles. É o fim da picada.

O feminismo acabou com o romance. Tem mulher que fica ofendida do cara pagar um cinema, VAMOS PARAR COM GRAÇA. De nada tem a ver direitos iguais com educação e galanteios e eu, sinceramente, acho esse papo de igualdade entre homens e mulheres uma bobagem. Somos diferentes, começando pelo lado fisiológico. Eles fazem xixi em pé, minha gente. Tem estrutura pra bater bem forte em alguém sem se machucar. Podem arrotar em público, coçar o saco, não precisam depilar as axilas. Sei que existem mulheres pilotas, mas eles dirigem mesmo melhor que nós, é fato. Porque está no cérebro, no gene, porque eles não conseguem fazer 10 coisas ao mesmo tempo como nós somos profissionais em fazer, mas fazem uma única, se desejarem, excelentemente bem.

Nunca seremos iguais, nem em mil anos, e nem seria saudável que fôssemos. Não existe essa inferioridade inventada, homem que acha que lugar de mulher é no tanque pode voltar pros anos 50. Mas homem que acha que porque a gente dirige e trabalha é obrigada a agir como parceira no futebol é complicado, a coisa tá sem limites. Se por um lado a gente gosta da nossa independência não deixa de ser mulher. E como seres sensíveis apreciaríamos muito que vocês fossem homens de verdade. Com AGÁ maiúsculo.

No dia em que homens e mulheres forem iguais a humanidade estará destinada ao fim. Que interesse temos naquilo que nos é semelhante? O que acrescentaríamos a eles (e vice versa) se agíssemos, pensássemos e fizéssemos tudo igualzinho? Deixem que eles reclamem dos nossos vestidos. Que paguem as contas, dirijam os carros, deixem que conduzam alguma coisa e que pensem que são fundamentais para o bom funcionamento das nossas vidas. Deixem que eles sintam-se responsáveis pela nossa proteção e bem estar mesmo que não sejam. Eles precisam disso e creio que a gente também. Faz algum sentido?

Sejamos machistas. Porque de nada adianta conquistar todos os bens desse mundo sem termos pra quem nos exibir. Fica a dica.

14 responses to this post.

  1. Sem palavras pra comentar!
    Achava que eu era a única mulher machista que não vê benefício na queima de sutiãs…! Como vc disse, só eles ganharam! rsrsrs

    Responder

  2. muito interessante tudo que voce acabou de dizer, e em certa parte até concordo. o problema é que hoje em dia, as mulheres ainda estao na “pegada” de conquistar o mundo, tipo o Pink e o Cerebro. Só que nessa, voces acabam invadindo o espaço pessoal do homem, e ai quando dizemos “opa, aqui nao!” somos machistas. Na verdade, só estamos defendendo nosso espaço, afinal, todo mundo precisa de um canto pra chamar de seu. Um otimo exemplo disso é o guarda-roupa, e tenho meus pais como exemplo. No começo, era metade de cada um. Hoje em dia meu pai teve que comprar outro armario pequeno só pra ele, porque a minha mae ja se apoderou da parte dele do guarda roupa, da comoda, da sapateira, até o MEU armario ja foi vitima, mas eu lutei corajosamente para te-lo de volta, e obtive sucesso. Só nao sei até quando eu vou aguentar a batalha… hahahaha

    Responder

  3. Eu concordo em partes, acho que devemos sim defender nosso direitos, mas sem muitos alardes, essa de sempre querer ser a melhor em tudo, até mesmo de outra mulher é demais.. Adorei o texto do Felipe .. muito legal mesmo!!

    Bjuzz..
    natyfigueiredo.com

    Responder

  4. Atualizei o post na mesma hora que vc comentou! hihihi Ficou menos superficial, e a resposta dele é NÃO! Assim mesmo, em caixa alta! rsrsr Vê lá depois! http://coisasdesimone.wordpress.com/2011/03/13/fatos/

    Responder

  5. Eu acho que todas nós devemos ter nossos direitos.. Mas calma aí, o que seriamos de nós sem os homens? Rs.. NADA!!

    Beijos.
    http://www.consumisse.blogspot.com
    @thaharaujo

    Responder

  6. Realmente, minha flor. Neste sentido de que a gentileza anda meio distante de certos homens, eu concordo plenamente com vc. Muitos acham mesmo que se a gente quer igualdade de gêneros, podem nos tratar de qualquer jeito. Parece que só somos delicadas e frageis se formos donas de casa e cuidarmos dos filhos. Porém, tenho que dizer que uma boa parcela de culpa neste cenário é nossa. Tem mulheres que pelo amor de Deus, né? Lutam por igualdade de uma forma absurda e é por conta delas que a coisa tá indo de mal a pior. Acho que deve haver um equilíbrio, sim, podemos nos impor e lutar pelo que queremos, mas sem esquecer da nossa essência.

    Beijos, querida.
    Tenha uma ótima semana!

    Mil desculpas pela ausência nos ultimos dias. Ando numa correria daquelas =/

    Te espero lá no blog, tem post novo😉

    http://www.nicellealmeida.blogspot.com

    Responder

  7. Também sinto falta da gentileza, cuidado, carinho. Não comigo, rs, mas a gente vê muita falta de sutileza com as mulheres. Não que precisamos disso pra viver, mas realmente não somos iguais e nunca seremos!

    Beijos
    http://www.off-fashion.com.br

    Responder

  8. Acho digno um homem que conduz, sem demonstrar superioridade.Precisamos deles, é notório. Se não, de que adiantaria fazermos tantas peripécias, sem ter um certo alguém para nos elogiar?
    Adoro seus posts Ericka!
    bjk flor
    http://www.rosianeteixeira.blogspot.com

    Responder

  9. Amoooo ler os textos aqui! Também admiro um homem que conduz, sem demonstrar superioridade – machismos… Bjs, Marisa

    Responder

  10. Essa parada de igualdade é muita balela mesmo.
    Todos somos diferentes e a beleza tá aí. Todo mundo igual ia ser muito chato.

    Mas é díficil homem ser galanteador, hein ? Geralmente quando isso acontece é pq ele tá querendo SEXO (tô fina e não escrevi coisa pior haha).
    Não espero gestos grandiosos e romanticos de bofes pq sei que isso não é da natureza deles e no fim só vou ganhar uma boa frustração. Aprendi a enxergar a beleza dos gestos pequenos e fofos. (maturidade da balzaca ? talvez !)

    Responder

  11. Posted by carine on 16/03/2011 at 21:28

    to pensando bastante sobre feminismo/machismo depois que uma arroba postou na timeline que acha incoerente escrever sobre vestidos de noiva num blog feminista. pode até não ser uma sacada publicitária fantástica mas os vestidos não são fabricados para mulheres? não são principalmente mulheres que lêem e comentam em um blog feminista? não pode uma feminista ter o desejo de casar, ter filhos e ser dona de casa? feminismo não é, obrigatoriamente, suar em bicas até ganhar mais que o esposo e mandar flores pra ele no dia dos pais. é enxergar, defender e publicar que existem e são possíveis vários modos de vidas para todas as mulheres. opção, escolha, diferente da OBRIGAÇÃO de ser empregada da própria família e da OBRIGAÇÃO de dividir todas as contas. e esse conceito se reflete diretamente pro machismo. mulherada PIRA, sabe? despiroca total, acusa de machista um cara que tá todo trabalhado no romantismo ou com uma intenção maneira. mulherada, mais controle, mais ponderação. bater em mulher é diferente de pagar a conta

    Responder

  12. Ericka, acho que o problema não é o feminismo, e sim a masculinização da mulher. Já li em alguns blogs feministas que esta história de falar de batom e moda é futilidade. E por quê? Porque na verdade elas se espelham no dito “opressor” para se comportar! Acho a maior viagem do mundo a gente ter que agir como homem para que eles nos aceitem como iguais.

    Na minha opinião, isso só faz com que eles nos temam, e não nos respeitem. Se eles pararam com os galanteios e a cordialidade (que também não tem nada a ver com machismo) foi porque as mulheres assim o quiseram. Eu adoro ser cortejada, cuidada, mas isso não significa que sou submissa; significa que gosto de ser amada!

    Ah, e meu marido tem um puta respeito por mim e sempre me cuida. Não é dado a cavalheirismo, mas sempre é gentil e carinhoso.

    Beijos

    Responder

  13. Sabe, é ótimo amar alguém.. mas dá tanto trabalho (mesmo quando somos correspondidas).. a gente sempre sofre, tem ciumes, se descabela, chora, briga..rrsrs
    As vzs eu penso.. qndo a gnt não ama nngm, só a nós mesmas, a gnt tá sempre bem.. não tem como quem esquentar a cabeça!
    Mas no fim.. a gnt gosta msm é de ter alguém pra amar, pra chorar, ter ciúme, se descabelar! hahaha
    Adorei o blog!
    =*

    @marialfinete

    Responder

  14. Posted by thais on 19/03/2011 at 16:51

    Oi, Ericka!
    Ameeei o post! Concordo plenamente com o fato de que nós mulheres não devemos nos masculinizar, que nós mulheres não temos de ser como eles e que isso não é evolução, mas involução. “Acho a maior viagem do mundo a gente ter que agir como homem para que eles nos aceitem como iguais” é algo que defendi fortemente em meu post do dia das mulheres (“Ao topo, como Mulheres”), lá no “Simplesmente Feminina”. Nós gostamos de ser amadas, de sentir que nos notam como mulheres e que ser feminina é muito diferente de ser feminista. Eu sou feminina, mas nada feminista!
    Beijinhos,
    Thais

    http://simplywomanly.wordpress.com
    http://politicadesaltos.blogspot.com

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: