coisa de macho.

Meu vô é do tempo que mulher era parida pra servir. Que fosse o prato, a mesa, que fosse lavar a roupa, pegar uma água e manter a casa sempre em ordem. Sempre. Não podia em hipótese alguma atrasar o jantar ou trabalhar fora. Não podia sair depois das 6 e meia da tarde desacompanhada, não podia ficar trazendo muita visita em casa porque a vizinhança  já logo mexericava. E a minha vó, que morreu de saco cheio de tantas regras, nunca teve sequer a chance de olhar para os lados. Nem se quisesse.

Hoje os homens cozinham. Lavam as roupas (até as cuecas), alguns cortam as unhas dos próprios pés. Um avanço de eras. Já vi homem ficar em casa cuidando dos filhos enquanto a mulher trabalha fora,  impressionante. Hoje a gente pode olhar pro lado, pra cima, pra baixo, sair de casa depois das 3 e 45 da manhã pra encontrar com as amigas. Pode, mas, nem sempre, faz. E apesar das mudanças de comportamento faltam algumas outras na mente.

Não é que eles não reconheçam o lugar das mulheres no mundo, eles sempre souberam que ser dona de casa não tem a ver com destino, mas sim com escolha. A gente é que opta por ser mãe e amante. Esposa e trabalhadora. Santa e puta. Porque se é muito um, ou muito outro, já não presta.

Homem sabe que quando mulher quer, revira o mundo. Mas sabe também que, via de regra, elas preferem não cutucar o formigueiro. Alguns entendem nossas necessidades, alguns se adaptam, equilibram-se, tornam-se até meio feministas. MEIO. Porque de vez em quando entram em crise.

Se um homem chama uma mulher de gostosa e ela retribui com um elogio do mesmo “calibre”, pode crer que eles já enxergam nessa uma laranja podre, vagabunda de vida fácil. Nem se ela lavar, passar e cozinhar como ninguém importa, isso torna-se secundário. Pra casar, os valores que qualificam uma mulher de verdade devem ser a “dignidade”, que possui um termômetro de ações. São as palavras, roupas, gostos, atitudes… E o histórico de vida. Quanto mais rodada, mais imprestável. Se puder ser virgem aos 29, melhor ainda. Essas são as ideais.

É por isso que nós, mulheres, nos tornamos excelentes mentirosas. Se tudo fosse colocado em pratos limpos, ninguém formaria família por aí, sem sombra de dúvida. Nós sabemos ser realmente teatrais se precisarmos, questão de sobrevivência. Saibam disso.

Os anos passaram, mas tudo continua igual. Eles não falam, mas gostam da comida feita, da roupa lavada, da casa em ordem, dos filhos (se houverem) educados. Gostam da idéia de submissão, de estarmos disponíveis para essas funções domésticas. E a gente cede, muitas e muitas vezes, e a gente até acaba gostando de ser assim.

Os primórdios falam muito sobre a sociedade de hoje, e nós também não pode negar que gosta quando eles são do tipo bem trabalhador. Que mulher não gosta? Que mulher não se encanta com um homem que assume o comando da casa? Qual prefere passar horas no escritório a horas num bom restaurante? Ou fazendo uma viagem? Ou curtindo um spa?

É óbvio que esse post todo é um exagero. Existem sim as exceções femininas e masculinas que em em pleno século XXI muita coisa  já entenderam sobre seus papéis sociais, mas tentem entender mais a fundo o que eu quero dizer.

A culpa não é deles. Mas a medida que tudo isso acontece, o grau de domínio que um homem tem sob uma mulher, isso sim, é responsabilidade nossa. E pra analisar o que é certo e errado quanto aos valores machistas de um relacionamento só se perguntando se ser assim, Amélia Moderna, te faz feliz.

Faz?

20 responses to this post.

  1. acho que a culpa é dos dois. assim como temos informação e armas suficiente pra mudar o teatro, eles também os têm pra mudar a atitude machista e ridícula.
    vou falar por mim: eu gosto dos afazeres domésticos, sou mulherzinha e vaidosinha, sonho em casar e ter filhos, um quintal grande com cachorros.
    mas justamente pra que isso aconteça resolvi deixar claro, de um tempo pra cá, como as coisas realmente são: tô mais pra puta que pra santa, não tenho saco pra ordem, sou mimada e nada comprável, tenho meus sonhos que não dependem de ter alguém comigo, mas vai ser ótimo se alguém que me aceita e ama como sou quiser me acompanhar.
    li uma frase da Elenita um dia desses, que falava algo tipo ‘se eu não puder ser eu mesma com alguém… prefiro ser sozinha’.

    e eu assino embaixo🙂

    um beijo, linda!
    adoro seu blog desde a primeira leitura, há meeeeses atrás…

    Responder

  2. Adorei o “Amélia Moderna”, e concordo totalmente! Ainda existe sim, muito preconceito, e sabe, acho que vai demorar bastante tempo para passar. É que essa historia toda de mudança ainda é muito recente, ainda convivemos com nossos pais que passaram por isso, e que de certa forma, passam esses conceitos pra gente de que mulher tem que ser mais comportada e bla bla bla.
    Eu acho que sou uma mistura de machsta com feminista, ahah! Por um lado, eu realmente olharia torto pra uma mulher que retribuísse um “gostosa” (até pq eu acho péssimo homens desse tipo), mas por outro, acho nada a ver a mulher ter que colocar o sobrenome do homem no próprio nome. Como eu disse, ainda são muito fortes os vestígios da época da Amélia, e de certa forma, felizes ou não, essa Amélia ainda vive dentro de todas nós!!

    Beijinhos!!

    http://mmansur.blogspot.com/

    Responder

    • Posted by Ericka Rocha on 11/02/2011 at 10:58

      Mariiii! Vou te favoritar aqui no blog, okay???
      Escrevemos sobre coisas q

      Responder

    • Posted by Ericka Rocha on 11/02/2011 at 10:59

      Mariiii! Vou te favoritar aqui no blog, okay???
      Escrevemos sobre coisas que não são iguais, mas são diferentes… O que você acha? Quer colocar um selinho por aqui???

      Um bjuuu!

      Responder

  3. Eu queria só poder dividir as coisas, sabe ? Pq a divisão até rola mas sempre vem com uma culpa embutida. “Se eu que trabalho mais pq vc não pode fazer as coisas ?”

    E se eu tiver triste, doente, cansada, estudando, whatever ?
    Fazer o q ? É tenso ! Ficar brigando e fazendo mimimi toda hora não é opção, ninguém tem saco pra isso.

    Acho que o remédio pra isso é respeito e compreensão.

    Responder

    • Posted by Ericka Rocha on 11/02/2011 at 11:00

      Super te entendo, mesmo. E vc sabe que esse post foi baseado em vc, num sabe? Então… A gente faz algumas coisas por amor, não por orbigação…E às vezes queria ganhar o prêmio de não ter que fazê-las vez ou outra… Tinhamo neguinha!

      =D

      Responder

  4. Confesso que acho que ainda vivemos em um mundo machista, mas não apenas por causa dos homens, mas nós mesmas mulheres, temos essa atitude também.. acabamos as vezes sendo submissas à eles.

    Beijos.
    http://www.consumisse.blogspot.com
    @thaharaujo

    Responder

  5. Fato que sempre vai existir essa lista com as qualidades que a mulher / o homem tem que ter… passamos boa parte de nossas vidas procurando alguém tenha todos esses atributos e etc… e no final quando achamos nos casamos com essa(e)(wrong)
    O tempo passa e descobrimos que o que julgavamos ser extremamente importante de fato não é.

    Cansei de escrever. The End.

    Obs.:
    ‎Eu quero ficar perto de tudo que acho certo até odia em que eu mudar de opinião… ops mudei, rs..

    Responder

  6. Adooorei o post! Eu deveria mostrar pra minha sogra… apesar dela ir à academia sozinha (isso é um grande avanço), ela vive pros filhos e pro marido. Eles não tiram uma xícara da sala, ela faz tudo e sozinha, já que além do marido, tem mais 3 filhos homens.
    Excelente post!

    Beeeijo!

    http://gabisoaress.blogspot.com/

    Responder

  7. Olá, minha flor!
    Peço desculpas de só hj retribuir a sua visita.
    Adorei o seu espaço recheado de ótimas e inteligentes idéias.
    Que legal que vc tb é aqui de Santos e ainda é jornalista tb. É sempre mto bom conhecer novos amigos de profissão e de cidade hehehehehehe =P se bem que, n sou daqui. Sou Pernambucana, mais precisamente de Recife. Moro aqui há quase 2 anos.

    Mas, falando sobre o post. Concordo que muuuuuita coisa realmente já mudou, mas ainda tem mto pra avançar. Muitas mulheres n se situam nesta realidade e se deixam levar pelos fricotes de seus companheiros que, consequentemente, tb pararam no tempo em certas idéias. Acho que deve haver um equilibrio neste sentido.

    Eu por exemplo, sou casada, trabalho, amo o que faço, tenho meu lado mulherzinha, mas tb meu lado que ama cuidar e organizar a minha casa e fazer uma comidinha gostosa. Sou organizada, gosto de tudo no lugar, mas viver como uma neurotica? Ah, dá licença…assim n dá.

    Não temos problemas aqui em casa em realação a isso. Talvez seja pq tudo foi colocado em pratos limpos e nossa relação seja sem o uso de meias palavras =D

    Beijos, querida.
    Tenha um ótimo final de semana!

    Te espero lá no blog, tem post novo.

    http://www.nicellealmeida.blogspot.com

    Responder

  8. Eu acho esse comportamento maxista um horror.. Apesar do meu maridão ser aquele companheiro mesmoo.. de vez em quando ele se revolta e quer dare uma de maxista, ponho ele no seu catinho rapidinho.. Até porque hoje não dependemos mais deles!! Ele fica bravo mais depois vem todo manhoso!! E eu adorooo!! kkkk

    Adorei o post flor!
    Bjuzzz..

    Responder

  9. Posted by Edi on 11/02/2011 at 14:30

    Texto hiperverdadeiro!!
    Acho que no fundo sabemos disso tudo e procuramos um pouco essas submissão ainda assim!Claro que só em alguns aspectos Isso fica por conta da nossa complexidade humana mesmo!
    Mas e aí que está, isso deve ser uma escolha e não uma obrigação.

    bjoo
    http://feedbackpositivoagora.blogspot.com/

    Responder

  10. Posted by Mara on 11/02/2011 at 22:07

    Olá! Demorei pra retribuir a visita, mas gostei muito do seu blog!🙂 É importante questionar algumas coisas, dar uma sacudida para não cair na mesmice e na mediocridade.

    Acho que ser mulher hoje é se dividir entre ser independente e também ter um lado mulherzinha frágil. O equilíbrio é que é importante para ser feliz.

    Beijos,
    Mara
    http://verypinksmile.blogspot.com

    Responder

  11. Isso é uma coisa que começa com a nossa educação! Sempre nós meninas temos que tirar as notas mais altas,os meninos tem o desconto, pois são meninos, é normal fazer bagunça, ser mais “arteiro” e etc… Nós meninas ganhamos bonecas, das quais trocamos a roupinha, damos banho, alimentamos, e os meninos ganham carrinhos, quanto mais bonitos e velozes melhor. A nossa virgindade DEVE SER ULTRA PRESERVADA PARA UM PRÍNCIPE, enquanto mtos pais levam os filhos na casa das mulheres alegres da vida para perderem a virgindade-E SIM ISSO AINDA ACONTECE…
    Enfim, são tantas coisas desiguais desde pequenos, que acaba sendo difícil conseguir mudar algo! Realmente a mulher tornou-se independente e para conseguir casar, temos que fingir e mtooo, pois mulheres independetes na maioria das x espantam os homens, que sim, preferem as submissas!
    Ameiii o postttt!!!
    E quanto as rendas, menina tens que adquirir algo, vai continuar no inverno….
    Quando quiser saber de algo, me manda um e-mail que passo as informações das peças!!!
    Bjoksss
    Pri

    http://www.epocaboutique.blogspot.com

    Responder

  12. Posted by Ana on 12/02/2011 at 13:36

    Seus posts são maravilhosos! Não canso de dizer! hehehe
    Vc e a Mansur não são lugares comuns, mesmo! Adoroooo!
    Mas deixando a rasgação de seda de lado, eu gosto de ser essa Amélia meio torta que sou, mas gosto.
    Meio torta pq olho para os lados sim, saio com as amigas – com bem menos frequencia – e lá em casa meu marido tbm faz comida, lava roupa, põe a mão na massa! Afinal de contas, não temos empregada. Pelo menos em casa não temos hierarquias, néan! heheh
    Mas acho bacana fazer uns agradinhos, às vezes deixar tudo em ordem por algum tempo kkkkk
    Agora se Amélia for sinonimo de sujeição… tô fora.
    Nunca fui afeita a ser mandada por ngm.
    Acho q ninguém, Ericka! Chega uma hora que a pessoa deve explodir.
    Não era o caso de nossas avós… elas se submetiam.
    Acho inclusive que por isso os casamentos estão durando pouco hj. Ngm é obrigado a suportar ngm, ne.
    Enfim, vou ficar no seu post o resto do dia, pensando e avaliando.
    I will be back! kkkkk
    Bjs!

    Responder

  13. Posted by Ana on 12/02/2011 at 13:41

    Ah, sobre seu comentário, q ainda irei comentar! Caramba, vc é mto legal para uma filha única! kkkk Geralmente as meninas tendem a ficar muito mimadinhas… não parece seu caso, Ericka! Vc é mó legal ehehe! Seus pais devem ser bem bacanas!😉
    E é verdade, qdo era pequena sempre odiei meu irmão, achava ele fedido e chato. Agora, é meu melhor amigo, confio nele de olhos fechados. Mas há casos que não é assim, irmãos brigam por dinheiro, etc… é a vida!

    Responder

  14. Posted by Kcond on 12/02/2011 at 18:14

    Hahaha, tem como não amar seu blog, Ericka?
    Se souber como, não me avise ;D

    :**

    Responder

  15. Posted by Matita on 14/02/2011 at 09:47

    Elka, uau! Como sempre essa bateu fundo e tem tudo a ver com meu momento agora. Acabei de me mudar para um apê com meu namorado!!! E o que tenho me perguntado nesses últimos dias é “Serei uma Amélia?” Ainda tenho dúvidas…

    Responder

    • Posted by Ericka Rocha on 14/02/2011 at 11:13

      Huahhauhauhauhauhah… Às vezes a gente acaba sendo, não tem jeito… E, sinceramente, eu não acho isso ruim…

      Não entendo porque tanta mulher acha que as torna MENOS MULHERES, sabe? O problema é o cara não fazer nada e te tratar como empregada… Mas num relacionamento saudável não costuma ser assim, né? Ou, pelo menos, não deveria!

      Bjuuuu querida!

      Responder

  16. Muito engraçado!
    Ps. Obrigada pelo elogio! Amei seu trabalho e sua apresentação então nem se fala…
    Bjs

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: